Resenhando o Livro: Cidades de Papel | John Green

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

E ai pessoas da Terra ou de Marte, tudo bem com vocês? Antes que me perguntem, quando eu postar resenhas de um primeiro livro de uma saga ou trilogia, não é que necessariamente eu terei que continuar ela na sequência O.K.? O.K.! Confira abaixo a resenha de "Cidades de Papel":

Título: Cidades de Papel

Personagens Principais: Quentin, Margo, Ben e Radar

Autor: John Green

Páginas: 361

Editora: Intrínseca

A história fala sobre Quentin, um garoto que está em seu último na escola, mas sempre foi apaixonado pela sua vizinha Margo Roth, desde que se conheceram aos dois anos e acabaram se afastando com o tempo, por ela ser a garota mais gata da escola e vários caras a quererem. Quentin também tem dois melhores amigos sendo Ben, um garoto que sofre bullying por causa de uma calça molhada de sangue e Radar, um garoto fissurado em seu site e que tem pais que coleçionam papais-noéis negros por toda sua casa.

Quentin e Margo, aos dez anos, veem um homem morto num certo parque enquanto andavam de bicicleta, mas acabaram deixando ele para lá. Anos depois, Margo aparece de repente na janela de Quentin o obrigando a ser seu cúmplice e motorista em uma noite de aventura. Claro que Q aceita sem saber do que ia acontecer durante sua noite, mas que importava se ele estaria com sua amada? Poderia ser finalmente sua chance.

O plano de Margo para a noite com Q era totalmente diferente do que ele a imaginara. Eles invadiram o Sea World, onde deixaram três bacalhaus para uns amigos dela, visitaram o SunTrust, onde eles veem toda a cidade e passam um tempinho lá, e rasparam a sobrancelha do valentão Chuck. Ou seja, tudo um plano de vingança de Margo para as pessoas que a magoaram. Ao chegar em casa, mesmo tendo arriscado sua vida, Quentin acredita ter sido a melhor noite de sua vida, e que no dia seguinte Margo finalmente iria lhe dar atenção no colégio.

Mas não foi bem assim... Q percebe que Margo sumiu, deixando pistas a ele para ser encontrada, já que não é a primeira vez que ela faz isso. Seguindo várias pistas com a ajuda de seus amigos Ben e Radar, e faltando apenas algumas semanas para a tão esperada formatura, os três e mais uma amiga de Margo, resolvem ir procurá- la pela cidade e até fora da cidade, no qual Margo a chamava de Cidade de Papel, onde tudo parecia ser feito de papel, principalmente as pessoas.

Minha Opinião:
Bom, não tenho nem o que falar né? Mais um livro fodástico do autor mais fodástico ainda, John Green. Onde a história é narrada em primeira pessoa, e claro, em uma linguagem informal e jovem, para podermos entender o que se passa na cabeça de Quentin.
Ainda não vi ao filme, mas ouvi críticas boas e positivas sobre a adaptação, e espero que saia logo na Netflix. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário